MUNICÍPIO DE PORTEIRAS SE DESTACA PELO COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI!


Na queda de braços com o mosquito Aedes Aegypti, Porteiras segue vencendo a disputa, e o que para muitos é preocupação, para o município é prioridade. Combater o avanço do pequeno inimigo é uma missão permanente do serviço público e da população, e os resultados deste trabalho são apresentados pela Secretaria Municipal de Saúde que, articulada com todos os órgãos e entidades sociais, detalha em números os dois ciclos de visitas domiciliares iniciais tomados pela equipe municipal de controle de Endemias. Nestes levantamentos, o município determina o IIP - Índice de Infestação Predial - amostragem que identifica a presença de vestígios do transmissor da Dengue, Zika Vírus e Chikungunya dentro dos domicílios.

No ciclo de número 2, finalizado em abril, o índice foi de 0,42 de infestação predial (quando larvas do mosquito são localizadas em depósitos residenciais), um dado relevante, levando em conta o patamar estabelecido pelo Ministério da Saúde, que exige abaixo de 1%. Em suma, Porteiras está dentro da meta de controle desejável. Atualmente o município trabalha o 3º ciclo. 

Sobre registros de Dengue no município, a Secretaria Municipal de Saúde traz outro alento: de 21 casos notificados em 2017, 11 foram descartados e 10 estão em investigação através de exames sorológicos. De acordo com a pasta, a nova metologia preconizada pelo Governo Municipal em distribuir os agentes de Endemias por zoneamento, ou seja, cada profissional cobrindo uma área específica em suas visitas de acompanhamento residencial, surtiu efeito, e somando todo este mecanismo ao engajamento da sociedade nas campanhas educativas tanto de rua, quanto na imprensa local e rede social, foi possível manter a situação sob controle até aqui, embora redobrando a atenção para que os índices permaneçam estáveis e a comunidade livre da problemática de saúde. 

Mas não é a Dengue isoladamente que preocupa, as outras duas doenças - embora sem registro oficial no território - vêm avançando em várias regiões e o alerta para as gestantes que contraem a Zika tem sido mantido, sobretudo pelo risco da evolução do problema das grávidas para os casos de microcefalia (formação irregular do crânio dos bebês), por conta dessa tônica é que o município se posta vigilante, adotando todos os procedimentos de eliminação dos criadouros, contando sempre com a participação da sociedade.


DA REDAÇÃO


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FÁBIO PINHEIRO ENTREGA LISTA DE PRIORIDADES AO GOVERNADOR CAMILO SANTANA!

MULHERES EM AÇÃO! Equipe da Residência Integrada Visita FM 104!

TODO MUNDO VIU: PORTEIRAS DEU UMA GRANDE FESTA!